Semanalmente tenho uma reunião com mulheres de todas as nações e em uma das reuniões falamos sobre Kathryn Kuhlman, uma heroína da fé que era tão apaixonada e temente a Deus que viveu o seu propósito de maneira plena e intensa. Eu tenho pensado em seu legado já fazem longas semanas e isso tem me feito entender mais sobre propósito. Como falamos no texto anterior desta série, nosso “chamado mais alto” é de conhecê-Lo profundamente como um íntimo amigo e que neste Lugar a nossa entrega, devoção e obediência são profundamente lapidadas, além de que nossas intenções permanecem no lugar certo.

Kathryn Kuhlman é um perfeito exemplo disto, se converteu aos 14 anos e começou seu ministério evangelístico – por conta própria – aos 21 anos. Muitas coisas aconteceram – como sabemos bem sobre os processos e profundidade em Deus –  e em 1946, Kathryn começou um programa de rádio popular e uma igreja, era conhecida pelo bordão “I believe in miracles, because I believe in God”, seu ministério foi marcado pelo sobrenatural e poder do Espírito Santo, foi em Franklin que ela começou a compreender – profundamente – o poder do Espírito Santo e dos milagres. Resumindo uma longa – e linda – história, prestava seus famosos cultos de milagres no Carnegie Hall por 20 anos, lotando a capacidade do grande auditório em todos os cultos – pessoas de todas as nações vinham às suas reuniões de milagres e assistiam seus programas de rádio e de televisão.

O legado espiritual de Kathryn Kuhlman chegou a tocar, em 1973, Benny Hinn, um dos homens de Deus que mais me inspira, ele chegou a dizer em um livro que escreveu sobre ela: “O Senhor permitiu que cada mensagem, cada culto de milagres e cada programa de rádio se tornassem sementes. Elas foram plantadas em minha vida. Cresceram. Floresceram. Ele usou Kathryn para me preparar para o ministério”. Como é profundo o impacto que um coração rendido e apaixonado por Deus é capaz de provocar, isso me confronta a pagar o preço, afinal Ele é digno de nossas entregas e do nosso “ir”.

Impossível não mencionar algumas das coisas que aprendo com a vida de Kathryn: sempre escolha “sacudir” o mundo para Deus, saiba como cooperar com o Espírito Santo, acredite em milagres, dependa do poder do Espírito Santo, adore a Jesus, “se você não foi chamado, não faça isso”, não espere entender para depois obedecer, entregue o seu coração completamente, Deus é absolutamente perfeito e tenha convicção do seu chamado (o que descobrimos ao buscá-Lo). Frutos de quem O busca com todo o coração!

Quando temos fome por mais da Sua Presença, passamos a conhecê-Lo afundo, afinal é o nosso desejo ardente, com isso passamos a confiar com todo o nosso ser – embora às vezes Ele nos guie ao desconhecido ainda por nós – porque conhecemos Aquele que fala, Aquele que guia, conhecemos Seu caráter, Sua fidelidade, Sua infinita bondade e Graça.
O conhecemos e por isso somos capazes de viver plenamente e entender o que Ele escreveu sobre e para nós. Essa é a chave para entrarmos em nossas rotinas – tão “normais” – com o coração ardendo e assim passamos a escolher nos posicionar/pagar o preço por mudanças, para ver o Reino Dele na Terra como no Céu. Como Kathryn dizia várias vezes que morria a cada dia por ter posto de lado os desejos de seu coração para assim poder servir inteiramente a Deus, quando provamos um pouco de quem Ele é, percebemos que nada mais importa, Ele é o único digno da nossa devoção e “full surrender”.
COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Isabella Quagliarelli
Eu sou a Isabella Quagliarelli Lachaitis, mas todos me chamam de Bella. Tenho 20 anos, sou missionária, com chamado focado na Europa, e artista plástica. Apaixonada por escrita e por Deus, encontrando aqui, um cantinho para transbordar o meu coração e o que tenho ouvido Dele em palavras.