Que tal fazer diferente dessa vez? Será que não chegou o momento de repensar a forma como você vem lidando com as rupturas e os seus inícios de relacionamentos? Vamos conversar um pouquinho sobre isso, talvez esse texto seja um divisor de águas em sua vida.

Eu não estou te julgando, nem te criticando, empatia é o que não falta da minha parte, pode acreditar, até porque eu já estive em seu lugar. Sim, eu já fui assim também, desesperada diante da possibilidade de ficar sozinha. Eu não adotava muitos critérios, eu era especialista em fazer vista grossa para diferenças gritantes por acreditar que era mais importante “ter alguém” do que me preocupar com a qualidade do vínculo em si.  A minha autoestima era péssima, admito.

Você rompeu uma relação recentemente? Então, que tal se permitir viver todo esse processo sem a ansiedade de substituir a pessoa que foi embora? Acredite, existem incontáveis possibilidades de descobertas para você vivenciar. Vá cuidar de outras áreas da sua vida. Faça um curso, volte a estudar, faça uma viagem, se possível. Dedique-se a algum hobby; faça algo novo pela primeira vez. Dê um tempo ao seu coração, a vida não pode se resumir a ter um parceiro.

Deixe de lado a ideia de provar a quem quer que seja que a sua “fila andou”. Hei, você não está numa fila, você está num luto que precisa ser respeitado. O seu coração não é um estabelecimento cujo funcionamento acontece por senhas ou ordem de chegada, entenda isso.

Ninguém que vale a pena se atrai por um coração bagunçado como o seu está no momento. Ferimentos físicos atraem moscas e larvas; ferimentos emocionais atraem abusadores. Cuidado, o seu discernimento pode estar completamente ou parcialmente comprometido.

Permita que o fluxo siga. Permita-se ser surpreendido(a), mas sem essa de dar um empurrãozinho para o amor, é nessa brincadeira que muita gente cai em abismos. Deixe o seu coração livre da obrigação de ter alguém.

Texto de: Ivonete Rosa Escritora

Photo by Brooke Cagle on Unsplash

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS