Você já teve ou tem alguns sintomas ansiosos? Sofre com algum transtorno de ansiedade? Não! Então já perguntou para alguém que passa por isso, qual o nível de dor física e emocional que ela sente? Já teve empatia?

Pode-se dizer que é uma dor que rasga o peito, os pulmões, o coração, a alma… A dor de ter a mente e o corpo exaustos, pensamentos que não param. É difícil manter a calma, parece que os pulmões estão sendo comprimidos, que o ar irá acabar, o coração não irá mais caber no peito, e sairá pela boca, as mãos e pés tremem, o corpo sua, os músculos ficam tensos, tornando cada vez mais difícil de relaxar, parece que tudo irá dar errado, a angústia aumenta, não conseguem dormir, o humor altera, se irritam facilmente, demonstram agressividade e falta de paciência, mesmo que de forma não intencional.

Parece que o presente não existe, o que existe é um futuro, vivido no presente, cheio de tensão e preocupações excessivas. Os julgamentos não saem da memória “Você está exagerando”, “Isso é coisa da sua cabeça”, “Pare de ficar fazendo drama”, “isso é falta de Deus”, “é coisa de quem está com a mente desocupada”…

Doí chegar ao médico achando que está tendo um ataque cardíaco e ele dizer que não é nada, é apenas uma crise de ansiedade. Dói sentir-se incompreendida. Dói sentir-se incapaz e achar que isso não vai passar.
Se você nunca passou por isso, lembre-se que um dia poderá passar. Ninguém é imune a adquirir um transtorno, ou ter alguns sintomas fortes em determinado período da vida. Então tenha empatia! Tente entender o que a pessoa têm passado e como ela está. Ajude aqueles que precisam de atenção, ouçam-os, não tente medir o que ele está sentindo se você nunca sentiu e não sabe como é. Estenda a mão, de um abraço, diga eu estou com você, vamos ao médico, vamos ao psicólogo, isso vai passar, você vai conseguir superar…

Mas, se você sofre com esses sintomas quero te dizer uma coisa, é difícil sim e dói muito, mas vai passar. Você vai conseguir superar esse momento e viver melhor, vai conseguir aprender a controlar o que pensa e o que sente. Convivo com muitas pessoas que já passaram por isso e conseguiram superar, então sei que você também pode e consegue.

Você não está sozinho! Se preciso for busque ajuda profissional.

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Jéssica Rodrigues
Psicóloga, 29 anos. Apaixonada por gatos. Amo viver e poder ajudar outras pessoas a encontrarem um sentido para a vida.