Muitos relacionamentos terminam, e o motivo quase sempre é o mesmo, falta de amor. Não posso mais continuar com você porque não te amo mais. Meu amor não é o suficiente para manter nossa relação. Percebi que o amor acabou. Sim, o amor de fato pode acabar, então o que fazer para mantê-lo? É preciso regar o que foi plantado.

Ser amado é uma necessidade. O amor é um sentimento capaz de transformar o humor, os pensamentos e a vida. Ser amado é uma das maiores necessidades que o ser humano possui, por isso todos buscamos sempre por um amor correspondido. Durante a infância, através de nossa vivência, aprendemos nossa primeira linguagem do amor, então quando chega na vida adulta nos deparamos com pessoas que também possuem  sua linguagem própria de amar, de ver o mundo e se comportar nele.

No começo é muita paixão, cada música ouvida, cada texto lido, cada palavra, tudo lembra a pessoa amada, os dias longes são vistos como uma eternidade, se a pessoa não está ali ao lado, parece que as coisas não fazem tanto sentido assim. Mas com o passar do tempo, pode ser que surjam brigas, falta de interesse ou de companheirismo, e então o amor vai se enfraquecendo.

O amor precisa de dedicação. Como diz Gary Chapman, o amor é como um tanque, e ele precisa ser enchido diariamente, caso não seja enchido uma hora ele pode se esvaziar por completo e acabar. Mas para que esse tanque seja enchido é preciso que um reconheça e entenda qual é a forma de amar de seu parceiro. Muitas vezes achamos que não estamos sendo amados ou compreendidos, mas não percebemos que o outro pode estar demonstrando amor de sua maneira e não da maneira que esperamos.

Você se identifica com seu parceiro, mas percebe que, apesar da afinidade a forma de agir dele te deixa nervoso, chateado, triste… Pode ser que você espere muitos comportamentos de seu parceiro e que ele faça diferente do que você deseja. Da mesma maneira, pode ser que ele esteja fazendo coisas por você que ele imagina que esteja gostando e você não está.

Assim como uma semente, precisamos regar o amor. Uma semente precisa de água para brotar, crescer, florir e se manter viva. Também precisamos de ações que transmitam o amor. Se hoje você e seu companheiro se amam, mas não conseguem se adaptar às diferenças um do outro, lembre-se: O melhor caminho sempre será o diálogo.

Dialogue! Fale de suas necessidades emocionais, explique para ele de que forma você se sente amada, valorizada. O que você gosta e o que não gosta no relacionamento, veja se está ao alcance dele ofertar aquilo que você precisa, perceba se você está disposta a aceitar algumas atitudes, verifique se ambos estão dispostos a mudar e o que não mudariam de modo algum. Não diga em um tom de cobrança, mas demonstre que é algo importante para você e para seu relacionamento.
Não somos adivinhos, só podemos acessar o outro até aonde ele nos permita ser acessado. Quando você não compartilha com seu companheiro suas necessidades, fragilidades e desejos, está tirando a oportunidade dele de entende-lâ, rever suas atitudes e de poder optar pela mudança.

Fale, ouça, reflita, saia do comodismo, comece a regar, tente algo novo…

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Jéssica Rodrigues
Psicóloga, 29 anos. Apaixonada por gatos. Amo viver e poder ajudar outras pessoas a encontrarem um sentido para a vida.