Obviamente que mencionarei no meu “último” (sabemos que ainda falaremos muito sobre isso aqui) texto sobre esse tema o que falamos no primeiro, o nosso propósito/chamado mais alto sempre será amá-Lo e conhecê-Lo intimamente, acima de qualquer coisa que venhamos a fazer. No segundo texto vimos que ter o nosso coração no Lugar certo nos faz viver em “full surrender” e provar da plenitude e abundância Dele, como grandes homens e mulheres que tanto admiramos e nos inspiramos.
Como de costume, serei bem vulnerável com vocês, às vezes Deus nos diz algo tão grandioso que chegamos a duvidar, não de Deus, mas de nós mesmos. Eu já vivi isso muitas vezes, chegando a ser como Sara que riu quando Deus disse que seria mãe por conhecer bem suas fraquezas e debilidades. Acontece que são exatamente essas pequenas raízes de incredulidade que nos fazem abortar algo lindo de Deus para nós, afinal, como diria Moisés em Êxodo 4:10 “Moisés disse ainda ao Senhor: “Mas Senhor, eu não sou bom orador, nem nunca o fui sequer, nem mesmo agora depois de me teres falado. Sou de fala presa, tenho a língua pesada”. Se os grandes heróis da Bíblia duvidaram, quem somos nós para fingir que nunca o fizemos, né?
O que mais me encanta nesse processo que todos passamos – e inúmeras vezes – é que Deus já conhece, até bem mais do que nós, nossas fraquezas, debilidades, medos e mesmo assim nos escolhe, sabe por que? Porque não é sobre nós e nunca será. É sobre quem nos enviou, sobre quem faz através de nossas falas e ações. É sempre sobre Ele, precisamos lembrar isso para nos posicionarmos e para JAMAIS pegar a glória para nós, Deus não divide a Sua glória com ninguém.

Êxodo 4:11-12 “”Mas quem foi que fez o homem falar?”, perguntou-lhe o Senhor. “Não fui eu, o Senhor? Não sou eu quem faz as pessoas falarem ou não, ouvirem ou não, verem ou não? 12 Então vai e faz o que eu te disse porque serei quem te ajudará a falar como deve ser. Eu próprio te direi o que deves falar”.

Durante esse tempo eu tenho pensado muito em Maria, quando o anjo de Deus a revelou seu propósito, ela não duvidou, ela nem sequer demonstrou incredulidade, ela sabia Quem falava e como TUDO podia acontecer com um sopro Seu apenas e todos nós sabemos o tamanho do propósito, da missão, de Maria. Com a Ana foi a mesma coisa, depois de um longo período clamando à Deus por um filho, quando o profeta a confirmou que ela teria, ela não duvidou, ela o entregou porque sabia o porquê e para quem seria aquela criança e sabemos muito bem a história de Samuel e quão importante ele foi.
Somos Seus filhos, possuímos o mesmo Espírito de Jesus, somos capazes de ouvir Sua voz e seguir Seus direcionamentos e se Ele nos chamou, Ele fará através de nós, só precisamos nos posicionar no que Ele disse e dar os passos de risco/fé necessários. Ele é digno de nossa obediência radical. Por mais que seja normal ter “medo”, afinal foge COMPLETAMENTE da nossa zona de conforto e muitas vezes da normalidade, devemos sempre manter em mente Quem está falando, Quem fará através de nós e que a nosso coração deve descansar nisso e se posicionar em obediência. Guarda isso: Se você O tem, você tem tudo o que precisa para viver o seu propósito plenamente (“Alguns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós confiamos no nome do Senhor, o nosso Deus.” Salmos 20:7).
COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Isabella Quagliarelli
Eu sou a Isabella Quagliarelli Lachaitis, mas todos me chamam de Bella. Tenho 20 anos, sou missionária, com chamado focado na Europa, e artista plástica. Apaixonada por escrita e por Deus, encontrando aqui, um cantinho para transbordar o meu coração e o que tenho ouvido Dele em palavras.