Eu sempre estou caminhando em frente, mas grata por tudo o que já aconteceu comigo e ontem eu fiquei pensando como eu vim parar onde estou com Deus e percebi que se eu tivesse permanecido em minha zona de conforto eu nem se quer teria ido tão longe.

Uma das minhas músicas com Jesus é uma do Aladim com a Jasmine, e quando ela diz “I can’t go back to where I used to be” (não consigo voltar para onde eu estava acostumado), eu sinto que é assim quando caminhamos com Ele – sendo radicalmente obedientes a Sua voz.

Se eu estivesse, há 5 anos atrás, ficado em minha zona de conforto, com os relacionamentos que estava (que eram bons, da igreja…) eu certamente não teria ido tão longe. Se eu estivesse permanecido em um lugar que eu amava, há dois anos atrás, eu não estaria onde Deus queria que eu estivesse.

Sendo bem vulnerável, nem sempre é fácil, sair da zona de conforto e abraçar o desconhecido que Ele tem. É como esmurrar a própria carne, afinal, sabemos que a Sua vontade é boa, perfeita e agradável, além de que o nosso “bom” nem chega perto ao Dele… mas as vezes nos prendemos a amizades, aprendi desde muito cedo com o meu pai que Deus tem pessoas específicas para mim e que as pessoas jamais devem ser a minha principal motivação para ir e fazer.

As vezes temos sonhos que parecem ser grandes aos nossos olhos e nos agarramos a eles. As vezes são planos que envolvem Deus, mas não era isso que Ele queria, igual Davi que queria construir um templo para Deus, mas não era o que Deus tinha em mente e planejado a ele. As vezes temos amizades que são Dele, mas nos apegamos tanto a elas que nos importamos mais com quem está ao nosso lado do que com o que Deus tem para nós agora.

Eu não quero amar tanto o que vejo ao ponto de esquecer de olhar para cima buscando vê-Lo. Eu não quero permanecer onde estou, não quero me contentar com isso, eu já provei um pouco dos frutos da minha obediência e da minha entrega… eu sei que são doces e melhores do que tudo o que eu havia provado e justamente por tê-Lo como companhia para desbravar o desconhecido ainda por mim. Eu quero ir mais longe, não porque quero status ou uma “posição” aos olhares humanos, mas porque O conheço e Ele é digno da minha obediência radical e do meu tudo.

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Isabella Quagliarelli
Eu sou a Isabella Quagliarelli Lachaitis, mas todos me chamam de Bella. Tenho 20 anos, sou missionária, com chamado focado na Europa, e artista plástica. Apaixonada por escrita e por Deus, encontrando aqui, um cantinho para transbordar o meu coração e o que tenho ouvido Dele em palavras.