Felicidade não é chegada – é percurso. Antes de uma meta, tem que ser processo. Quer saber? Quem fica tentando chegar “lá” nunca descobre que é “aqui” que ela está.

Não é errado sonhar, nem fugir de pesadelos. O problema é viver pelo que não chega enquanto você já chegou no que podia. Até aqui. Ou seja, em QUALQUER situação ou momento da vida SEMPRE existe algo para celebrar, degustar e se alegrar. É na paleta de cores do momento presente que a obra de arte de sua existência acontece.

Por quê? Deus é pintor do nosso cotidiano. Quem chama o Criador para habitar o agora depende menos do futuro que não vem. E hoje é o tempo que Ele lhe deu – sim, pra desembrulhar, saborear, reinventar e, sobretudo, agradecer.

Por isso, resumo o que me norteia: FELICIDADE É GRATIDÃO COM IDEALISMO. Só? Tudo! Curtir o que tem sem perder horizontes eternos. Senão, vai ficar correndo atrás do vento sem nunca sentir a grama macia sob os pés descalços. Delícia!

Hoje desafio você SER FELIZ. Parece bobeirinha? Mas, quando foi a última vez que você disse pra si “ok, legal, estou feliz com isso, mais aquilo, aquilo outro, então, valeu!”? Ou fica esperando o tal “ser” feliz enquanto não enxerga o “estar” feliz? “Pastor, você não conhece meu inferno!” Tá bem, eu respeito. Só que o inferno ainda não chegou pra ninguém, e sempre haverá algo bom para pôr no pódio da memória.

“Quem de vocês quer amar a vida e deseja ver dias felizes? Busque a paz com perseverança” (Sl.34:12,13). Menos espera e mais atitude. Presenteie-se com a satisfação. Largue seu cativeiro self-service. E levante a âncora de quem não lhe dá oceanos.

Posso pedir? Pense um pouco e parta para a decisão. Escreva aqui, e na sua alma, AGORA: sou feliz porque sou grato pelo que tenho na esperança do percurso com DEUS. Então, você descobrirá a poção mágica da curtição. Aquela possível e acessível a todos. Ah, e só aos que vivem uma vida bem vivida sem desperdiçar o maior tesouro do Céu…

O tempo.

Autor: Odailson Fonseca

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS