“Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo” (Apocalipse 3:20). Sou pensativo demais quanto a essa afirmação que Deus faz sobre estar batendo a porta do nosso coração. Sou pensativo por saber que as vezes Ele continua batendo, e eu prefiro deixá-lo do lado de fora ao invés de convidá-lo a Ele para entrar.

O que acontece com muita frequência quando nós lemos a história de Marta e Maria é começarmos a questionar muito a Marta. Achamos que essa realidade não se aplica a nossa, mas infelizmente é o que mais acontece nos nossos dias.

É muito fácil ser tomado por coisas que tiram a ligação do relacionamento face a face com o Eterno. Também é fácil demais deixar com que coisas banais e passageiras tirem de nós o verdadeiro objetivo: ter a porta do coração aberta para que Deus sempre tivesse livre acesso ao mesmo. Mas não, Ele precisa sempre estar ali batendo, pedindo permissão para morar em um lugar que foi feito para ser Sua morada.

É de extrema importância que a gente reavalie o que acontece conosco. Se autoanalisar sobre aonde Deus tem sido colocado nas nossas prioridades e também no nosso coração, dentro ou sempre do lado de fora?

O bonito disso tudo é sempre saber que independente do que aconteça, você O deixando ou não entrar, Ele vai sempre continuar batendo na porta até o momento que Ele tenha acesso para entrar e fazer dali a Sua morada.

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Tavinho Cruz
Estudante de psicologia, 22 anos. Apaixonado por livros. Escritor e idealizador do @familiadecristo_