VOCÊ SE APEGA DEMAIS AS PESSOAS? Então você precisa ler esse texto sobre a teoria do apego até o final.

Você tem dificuldade em lidar com seu parceiro, acha que ele não supre suas necessidades emocionais? É solteiro e tem medo de não ser amado ou de não se adaptar com seu futuro cônjuge devido as diferenças de comportamentos entre ambos?

Todo ser humano possui a necessidade de ser amado, de sentir-se seguro e protegido. Por isso é tão natural buscar alguém que preencha essas necessidades. Isso acontece pois ter alguém para compartilhar a vida faz parte da nossa condição genética, ou seja, passamos a ser uma unidade fisiológica, já que nosso parceiro ajuda a regular nossa pressão arterial, frequência cardíaca, respiração e o nível de hormônio no nosso corpo.

Diante disso, quando temos alguém que garanta a nós intimidade física e psicológica, conseguimos viver melhor em várias áreas de nossas vidas. Mas quando isso não acontece e nossas necessidades não são atendidas podemos nos sentir tristes e carentes emocionalmente.

Cada pessoa tem um modo de agir e possui necessidades físicas e emocionais diferentes. Cada um se enxerga, vê o outro e o mundo, de acordo com suas vivências. Portanto pode ser que ao longo da vida você encontre alguém que de fato a ame, mas que tenha dificuldade de te entender e corresponder suas necessidades. Isso contribuirá para que seu relacionamento seja visto como algo inseguro, com várias problemáticas. Afinal, é essencial que sejamos independentes, mas que tenhamos com quem contar, alguém que nos transmita segurança e acolhimento. E esse ter com quem contar e confiar é um tipo de dependência “saudável”.

Diante disso, foram feitas diversas pesquisas sobre a teoria do apego e constatou-se que existem 3 maneiras de apegar-se ao seu parceiro e para viver um bom relacionamento é preciso entender mais sobre esse assunto.

Tipo Ansioso: Busca muita intimidade no relacionamento, são românticos, com frequência tem medo que seu parceiro não esteja tão próximo ou disponível como gostaria. Encara as ações de seu parceiro como algo pessoal, fica preocupado e as vezes tem dificuldade de dizer o que lhe incomoda.
Tipo Seguro: Tente a ser caloroso e amoroso em seus relacionamentos, não fica excessivamente preocupado, está disponível em momentos de necessidade e disposto a chegar em um acordo e resolver os problemas.
Tipo Evitante: Busca manter sua independência e sua autossuficiência, prefere sua autonomia do que estar intimo de seu parceiro. Tende a não se abrir emocionalmente, sentindo-se invadido muitas vezes, criando regras menos flexíveis na relação.

Quando decidimos ter alguém ao lado, precisamos analisar vários fatores e um deles é entender nossas necessidades, o que podemos oferecer ao outro e o que o outro pode nos oferecer. Quando conseguimos identificar esses fatores, podemos encontrar maneiras mais assertivas para fazer nossas escolhas e para nos adaptar com nosso parceiro(a). Já que é possível que haja mudança de comportamentos diante de cada tipo de apego.

Texto de @jessicarodrigues.psi

Baseado no livro: APEGADOS, de Amir Levine e Rachel S. F Heller.

Photo by Jonathan Borba on Unsplash

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Jéssica Rodrigues
Psicóloga, 29 anos. Apaixonada por gatos. Amo viver e poder ajudar outras pessoas a encontrarem um sentido para a vida.