Eu estava conversando com minha namorada e ela brincava comigo, a brincadeira se baseava com o que eu parecia. Como ela é muito boba falou várias asneiras que me fez rir, mas nesse momento eu pensei, como ela é fofa, besta e como eu a amo muito, me perguntei quando pensei naquilo, o que era amar ela em um sentimento?

Não consegui responder essa pergunta porque ela era uma junção de vários sentimentos, sabe como aquela chuva que cai depois de um dia muito quente de tardezinha e ainda com sol, ou aquela última batata tão disputada do MC, ela é aquele sofá muito confortável que a gente deita depois de um dia muito cansativo, ela é aquela música que ninguém sabe a letra, mas no refrão todo mundo canta alucinadamente juntos, ela é aquele cheirinho de arroz que só vó sabe fazer, ou aquele plástico bonito que tiramos quando compramos um celular novo, ela é aquele moletom surrado, mas o mais confortável que a gente adora, ela é aquela série do NETFLIX que assistimos freneticamente uma tarde toda se deixar, ela é aquele enrolado que fazemos nas coberta antes de dormir nos dias de frio.

Mas tem vezes que ela é também aquele momento de raiva, de quando cai a torrada no chão ou aquele sensação de nervoso, quando você chega em casa e tem um monte de louça suja pra lavar ou aquelas roupas na máquina pra estender, embora isso, ela também é aquela sensação de angústia, de quando o personagem que a gente gosta vai embora e só vão revelar seu paradeiro na próxima temporada, ela é aquela água de chuveiro bem refrescante que a gente toma de noite pra ir jantar, ela com certeza é aquela sensação de lençol e fronha nova na cama, ela é aquele piada que mesmo sem graça nenhuma, a gente não consegue segurar a gargalhada, ou aquela coxinha cheio de recheio de frango com catupiry, ela é aqueles memes de gato que dá vontade de apertar ou aquela felicidade de terminar um trabalho de faculdade bem complicado, ela é aquelas paisagem de estrada mó bonita que a gente vê quando vai viajar, ela é aquele momento de alegria depois de um rolê chato com os outros. Você é aquele conforto, de que, mesmo sem nada pra fazer tá bom, porque eu tô com você.

Escrito por: EDUARDO MITSUAKKI– 22, estudante de psicologia.

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS