“Exatamente, disse a raposa. Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim o único no mundo. E eu serei para ti a única no mundo…”

Leia esse trecho tirado do livro O pequeno príncipe – Antoine de Saint Exupéry, e pense em seu significado.

Não há verdade maior.

Somos mais de sete bilhões no mundo. Sete bilhões em que muitos compartilham coisas em comum, e cada um com sua particularidade, o que nos torna únicos. Cruzamos com quantas pessoas diferentes diariamente? E o que as torna diferentes para nós mesmos? Somos apenas pessoas. Correndo atrás de seus deveres, cuidando de suas obrigações. Uma pessoa que você cruzou hoje sem conhece-la, não passa de mais um rosto na multidão.

Porém, o que torna uma pessoa especial, é a cativação mutua. O ato de criar laços é o que torna uma pessoa essencial. E a partir do momento que você é cativado, ou cativa o próximo, você se torna responsável por ela. Ou seja, de nada adianta ser especial para alguém, se você não está disposto a cuidar dessa pessoa. A ouvir, falar, e as vezes apenas estar por perto.

Pensando por cima, quantas pessoas eram especiais pra você há algum tempo atrás, e hoje não passa de um estranho?

Quanto a cativação é verdadeira, a pessoa passa a ser um em um milhão. Passa a ser um motivo de sorriso, e uma razão para você ser uma pessoa melhor. Porque é isso que verdadeiros amigos ou amantes fazem. Cuidam, protegem, amam e entendem.

E ser único para alguém, é um tremendo prazer. Entre tantas pessoas no mundo, alguém foi cativado por você. Entre bilhões, você se tornou único e especial. Arrisco a dizer, que é o maior prazer na vida de alguém. E é por isso que “tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Gabriele Sauthier
Nasceu em 93. Faz doutorado em Biologia. Apaixonada pelos pequenos detalhes desde pequena. Ama dias nublados, tocar violão, café e livros. Procurando sempre estar em contato com a natureza, admira as flores e qualquer ser vivo.