A busca por um diagnóstico revela o quanto as pessoas estão desesperadas para saberem o que são e ao mesmo tempo o quanto não estão dispostas a encarar as suas fragilidades. Preferem se esconder nelas. Preferem que digam sobre si. Sem saber quem é. Autoconhecimento nunca foi um elemento tão urgente como atualmente. Você não tem ansiedade, depressão ou qualquer outra coisa. Você está. E trocar o verbo ter por estar, faz toda a diferença. Quando falamos de ter isso gera uma ideia de pertencimento. Algo difícil de romper e encarar. Mas quando digo que estou, soa como algo passageiro.

Transitório. Uma fase. Algo passível de mudanças. E é assim que eu encaro isso. Quantas vezes eu não me escondi em um diagnóstico de depressão ou ansiedade porque ao meu ver, me sentia limitada demais para encarar tudo aquilo. Eu entendo que às vezes parece pesado demais lutar. Nem todos os dias nos sentimos dispostos a isso. Mas o que quero dizer aqui é: Se conheça. O que vejo é pessoas desesperadas, fazendo testes de internet para descobrir sua personalidade. Buscando que alguém ou algo diga a elas o que são. O olhar do outro é importante, eu sei. Mas e o seu olhar sobre si mesmo, não conta? Você, melhor do que ninguém, sabe de quanta coisa já passou.

Você melhor do que qualquer pessoa, deve saber os seus limites. Autoconhecimento é libertador. Pode ser que no começo você sinta a angustia bater forte no peito, mas não se assuste: Você está se descobrindo. E então você irá perceber que precisava ter mergulhado há muito tempo em si mesma(o). Quando não sabemos o que somos, o que podemos ser, onde queremos chegar, qualquer coisa serve. Qualquer direção está bom. Não se acomode, nem se acostume. Você pode ser muito mais do que dizem sobre você ou do que pensam. Sem comparações alheias, sem padrões, pra que ser igual a todo mundo? é maravilhoso ser você. Seja o protagonista da sua história. Saia da plateia.

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Thamilly Rozendo
Estudante de psicologia, 22, é aquela que escuta mil vezes a mesma música e tem a risada escandalosa. Não dispensa um sorvete e adora um pastel de feira com muito catupiry, mesmo sendo intolerante a lactose. Encontra paz na oração e vê amor nos pequenos detalhes.