Em pedaços e completamente destruída, era assim que eu me encontrava quando ele chegou. Amor? Relacionamentos? Figura masculina? Tudo uma grande balela, era o que eu estava começando a pensar. Afinal, eu havia tentado uma, duas, três… QUATRO vezes e em todas elas eu me arrebentei e me arrebentei feio! Não foram namoros sérios, mas envolvimentos sentimentais… “affairs”, dentre eles o mais terrível, o último que tive antes do meu noivo aparecer.

Eu havia acabado de terminar um relacionamento extremamente nocivo e abusivo à minha alma e espírito. Eu realmente não estava disposta a me desafiar a viver algo em que eu poderia, provavelmente, quebrar a cara, o coração e todo o resto da minha vida, novamente…

Definitivamente me desafiar a amar alguém, já não era mais uma opção. Construir uma família, confiar na figura masculina, dar crédito ao “amor real” já eram ideais distantes da minha realidade…

Eu precisava de tempo. Um tempo pra digerir tudo o que eu havia vivido e aprendido. Eu precisava de paz emocional e no espírito. Eu precisava de Jesus. Relacionamento com alguém seria a última coisa que eu gostaria de ter até então…

Minha busca por Jesus se intensificou. Eu precisava ser curada. Mas até então eu não sabia como e nem quando… Os métodos de Deus não são sistemas. São pessoas.

E o método de Deus para me curar, foi usar meu melhor amigo, futuro noivo.

Ele então apareceu. Na verdade ele sempre esteve lá… Meu melhor amigo, de repente virou e disse: “Você é a mulher da minha vida!” — “WHAT? Você é meu irmão! Eu não sinto nada por você!” Foi a resposta mais fria que eu havia dado em toda a minha vida haha Ele como sempre, amoroso e Pacífico, disse “tudo bem! Eu respeito seu tempo. E sei que vou casar com você” “ok ok, se for de Deus, Ele vai colocar o sentimento em mim”.

Como sabem, passado um tempo, o que eu não esperava, aconteceu, Deus confirmou no meu coração e dou graças a Deus por ter enxergado meu melhor amigo, o amor da minha vida. Eu vi nele o que não vi em nenhum outro: um amor puro, respeito e um propósito que se unia ao meu.

A convicção não foi instalada em mim de uma hora pra outra, ela foi gerada aos poucos. Dia após dia. A conquista. A entrega. Um processo. Eu me submeti a ele. Me permitindo ser amada por alguém que realmente me amava. A medida em que me permitia ser amada por ele, percebi que eu era curada. Curada de traumas, medos, inseguranças… Voltar a acreditar no amor, já era a primeira opção. O amor é real e ele cura!

Deus envia pessoas no momento certo para cuidar de nós. Se ainda não chegou, é porque ainda não é o tempo… E não quero restringir somente a vida sentimental, mas a qualquer pessoa. Creio muito que Deus usa pessoas e os relacionamentos para nos curar se nos permitirmos ser curados. Haverão diferenças, mas o amor irá sobrepor tudo isso, o respeito e o propósito.

Quando somos machucados por causa de relacionamentos, tendemos não somente a desacreditar no amor, como a não querer nos aprofundar em relacionamentos. Isso é uma cilada! Somos relacionáveis e aprendemos muito quando estamos em comunidade, e quando encontramos a pessoa certa para casar. Por isso se permita amar e ser amado por alguém que realmente te ame, se importe com você, respeite seu tempo, espaço, jeito, princípios, corpo e tenha um propósito que se una ao seu. Você será curado na área que precisa ser curado.

O amor cura. O amor dele tem me curado dia após dia.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Giselle Prado
Ela não veio do interior, mas tem jeito e sotaque de lá. Fundadora do Um Socorro à Meia Noite, 23 anos, formada em Design Gráfico, amante de psicologia e apaixonada pela arte da música e da escrita, acredita que através da sua profissão e dons é possível levar socorro e esperança à meninas imersas na depressão, que sofreram algum tipo de abuso. Ester é o livro que a inspira a prosseguir e não desistir jamais.