FRESTA, tire o “R” e não tem nada a ver!

Relacionamentos com frestas jamais serão uma verdadeira festa. Ou você blinda sua relação contra os ataques externos, ou ela vai deixar de ser um refúgio seguro para o coração.

Amigos são tudo de bom! Pais e familiares? São queridos que amam com experiência e afeto. Filhos, também – uma explosão de alegria e surpresas. Porém, NENHUM deles é mais importante do que a privacidade exclusiva e absoluta que, obrigatoriamente, tem que existir em um casal.

Códigos secretos, gestos combinados, fugas off-line, conversas infinitas, lutas privadas, momentos discretos, TODOS estes são ingredientes de chumbo para manter o escudo de um relacionamento. “Perdão, mas daqui em diante, ninguém entra!” É isso. Têm limites de exclusividade privativa no casal onde as 4 paredes se fecham só abrindo o teto de vidro para o Céu.

Já vi muito casal brigando por causa dos “outros”. Oras bolas, ou vocês mudam a ordem das prioridades, ou viverão escravizados de quem nem paga as contas do preço deste amor que já custa tão caro.

Longe de serem desrespeitosos com quem lhes quer bem, “mas” tenham sua PRIVACIDADE. Isto é inegociável. Amo a Bíblia. Se em Cantares 2:16 diz “meu amado é meu, e eu sou dele” é porque ela NÃO está dizendo “meu amado é nosso e eu sou deles”! Engraçado? Mas, perde a graça quando intrometidos azedam uma relação linda.

Somos assim aqui em casa. Foi uma das primeiras “regras claras” que estabelecemos ainda no namoro. Perfeitos? Hahá! ‘Bota briga gospel aqui! Mas, ninguém sabe, e por quê? O Único além da gente já está sabendo. Com Deus, joelhos dobrados, frestas fechadas e nós dois juntos, seguimos em frente. Aos trancos, barrancos, perdão, gargalhadas, delícias, aventuras e muita curtição. É nossa história para contar. Só nossa. Felizes.

E a sua?

Autor do texto: Pr. Odailson Fonseca

Fotografia: @ianrafaelfotos

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS