É difícil entender o amor de Deus, que excede os defeitos. Um amor incondicional, de mão única. Para mim, humana, com minha visão limitada de divindade, amar alguém que não me aceita, que duvida de mim, é algo que não faz sentido. E por isso já li muitas afirmações: “Não sou justa do amor de Deus”; “Tenho vergonha de Deus”; “Não sei se Ele me perdoa”.

Se for por nossa justiça, realmente… não teríamos esperança. Mas é pela justiça dEle. Já fomos revestidos de Cristo, e a parte mais difícil Deus já fez: Entregar seu filho unigênito a um sacrifício por cada um de nós.

Ter Jesus como nosso representante nos torna mais dignos de amor do que poderíamos imaginar. E sim, Deus nos ama. Da forma que estamos. Na posição que estamos. Com o coração limpo ou bagunçado, com a mente confusa ou descomplicada. Ele nos ama desconsiderando o que somos, justamente por QUEM somos.

Isso não nos dá o aval de continuarmos em posição de pecado. Pelo contrário, nos dá a esperança que temos chance de transformação através do amor de Cristo.

Aceitar o maior amor do mundo sendo quem sou, é até estranho, não é? Como alguém poderia me amar sendo tão indigna? Cheia de defeitos e pecados? Mas não entendemos o amor de Deus porque o enxergamos com olhos humanos.

Eu, na minha forma tão pequena não compreenderia algo tão imenso. Mas além do entendimento, Deus o faz.

Photo by Camille Brodard ~ Kmile Feminine Creative Designer on Unsplash

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Gabriele Sauthier
Nasceu em 93. Faz doutorado em Biologia. Apaixonada por livros, desenhos e animais. Idealizadora do @faleicomamor.