Ela chegou em casa após um dia cansativo de trabalho e como de costume colocou sua bolsa sobre a mesa, tirou seus sapatos e foi direto para o quarto vestir algo mais confortável. Sua rotina havia consumido completamente seu tempo e isso fez com que a vida fosse levada diariamente no modo “piloto automático”.

Sem que ela pudesse se dar conta, eliminou inconscientemente da sua vida todas as pequenas coisas que, antes, lhe traziam prazer, afinal, tempo não era mais uma coisa que ela tinha de sobra. Coisas simples como conversar por horas com alguém sem se preocupar em resolver algum problema, emitir algum relatório, ou então sem ter que sair correndo para algum compromisso, ou observar o pôr do Sol, fotografar flores, o Céu, ou alguma das demais criações de Deus, e até mesmo sentar-se a beira do lago, no sofá, ou em qualquer outro lugar para conversar com Jesus.

Ela demorou um certo tempo para notar o que estava acontecendo, até que, finalmente, percebeu que a rotina havia consumido sua sensibilidade acerca dos pequenos milagres do dia a dia. Ela saiu do quarto em direção a cozinha, preparou uma xícara de chocolate quente e foi em direção a sala. Sentou-se no sofá e ao acomodar-se de maneira confortável, começou a pensar sobre tudo que não fazia mais e um breve pensamento passou por sua cabeça.

“Onde Jesus está agora?”, pensou. Imediatamente, sentiu seu coração sorrir e acabou por ter seus lábios sorrindo também. Ele estava lá, sempre ao seu lado, olhando para ela com o mesmo olhar de amor e aceitação que a olhava quando O procurava todos os dias e se esforçava muito mais para tê-lo por perto.

Ela não tinha palavras para dizer, e não era necessário. No momento em que Jesus a olhou, ela se sentiu como uma criança acolhida por quem mais a ama. Ah, como era bom sentir-se criança de novo. Em questão de segundos ela havia se despido de toda a armadura e de todas as máscaras que a faziam parecer forte diante das pessoas e se sentia extremamente feliz por isso. Ela podia simplesmente ser ela.

Colocou a xícara sobre a mesa e se jogou em Seus braços. Era o melhor abraço do mundo! Ela não conseguia soltá-lo. Depois de muito tempo no colo de Jesus, ela O olhou e, finalmente, pronunciou algumas palavras.

“Eu senti sua falta”, disse ela.

“E eu também senti a sua, Filha”, respondeu Jesus.

“Sabe, Jesus… Eu percebi que deixei de ser que era antes. Eu não escrevo mais cartas para o Senhor, não ficamos mais juntos aqui na sala, não canto mais aquela canção que o Senhor gosta de me ouvir cantar. Sequer te agradeço pelas flores que faz cruzar o meu caminho todos os dias. Eu não quero ser criança crescida, Jesus. Eu não quero olhar para o Céu sem separar um tempo para te agradecer por pintá-lo para mim todos os dias.

Eu não me sento mais ao Seu lado no lago para observar como o vento faz com que as águas se movimentem tranquilamente, trazendo uma incrível sensação de paz e conforto. Eu não olho para o céu e agradeço ao Senhor durante o dia e também não sorrio mais por lembrar que sou Tua noiva. Na verdade, quase não lembro disso. Jesus, eu sou Tua noiva! Que noiva tenho sido se nem ao menos abraço diariamente meu Noivo?

Ah, Jesus… a falta que o Senhor me faz, não há nada no mundo e nem ninguém que preencha. Ninguém me toca como o Senhor, ninguém me ouve e nem me vê como o Senhor. Nada me satisfaz como o Teu amor e eu não quero procurar nada para ocupar o Teu lugar. Eu sou Tua casa, Jesus. Sei que algumas coisas estão fora do lugar e também sei que não tenho te convidado tanto para estar aqui comigo, mas, Jesus, eu quero ter o Senhor por aqui todos os dias de novo.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Laureane Antunes
Colecionadora de sonhos, não importa o quanto pareçam bobos, a vida é dura demais para ser vivida sem sonhar. Da minha fé, faço poesia, assim a eternizo em minhas palavras. Estou por aqui apenas de passagem, o Céu me aguarda.