Em uma de suas ministrações, Paul Washer fala sobre o cuidado do homem com sua esposa e apesar de simples, achei tão profundo. Ele diz assim: “Mulheres gostam de um lar, cortinas, toalhas de mesa, souvenirs (são pequenos bichinhos de decoração). Suponho que deve ser para que nós (homens) não nos tornemos bárbaros.” Ele conta que a esposa dele, Charo, queria “souvenirs”, mas quando foram comprar eram caros e não tinham condições. Charo entrou na loja e assim como entrou, saiu, sem reclamar. Dias depois, quando ele foi ministrar em outra cidade, fizeram a reforma na igreja e ofereceram algumas caixas para eles. Quando a esposa abriu, ela começou a chorar. A caixa estava cheia de souvenirs.

Washer diz que o marido deve se importar com essas pequenas coisas da esposa, porque Deus se importa em dar “souvenirs” para ela. Ele também ensina que se o marido colocar o ministério (ou qualquer outra coisa, que não Deus) acima de sua esposa, “saiba isto: não foi sua piedade que o levou a fazer isto. Foi sua idolatria. Seu desejo de ser alguma coisa entre os homens e até mesmo um desejo de ser alguma coisa diante de Deus”.

“Deus também se importa em dar “souvenirs” e cortinas para sua esposa, então acho bom você começar a se preocupar com as coisas que Deus se importa.” Paul Washer

O casamento não reflete o amor e o sacrifício de Cristo por sua noiva a toa. Os papéis estabelecidos por Deus para marido e esposa são únicos para cada um, de maneira que Deus é glorificado. Feminilidade e masculinidade são bênçãos do Senhor.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




Laureane Antunes
Colecionadora de sonhos, não importa o quanto pareçam bobos, a vida é dura demais para ser vivida sem sonhar. Da minha fé, faço poesia, assim a eternizo em minhas palavras. Estou por aqui apenas de passagem, o Céu me aguarda.